Conselho Administrativo e Consultivo

Conselho Administrativo X Conselho Consultivo

O Conselho de Administração tem caráter deliberativo e está diretamente vinculado à tomada de decisões em uma empresa. Já o Conselho Consultivo fornece pareceres e recomendações que não necessariamente serão adotados pela empresa.
Ainda assim, a atuação de um Conselho Consultivo é de grande relevância, sobretudo para empresas que estão em fase inicial de adoção de práticas de governança corporativa, para elaboração de relatórios que darão fundamentação à elaboração do planejamento estratégico.
Governança Corporativa é o conjunto de processos, costumes, políticas, leis, regulamentos e instituições que regulam a maneira como uma empresa é dirigida, administrada ou controlada. São verificadas as relações entre os diversos atores envolvidos (os stakeholders) e são eles: os acionistas ou quotistas, a alta administração, o conselho de administração, os funcionários, fornecedores, clientes, bancos e outros credores, instituições reguladoras (como a Comissão de Valores Mobiliários, o Banco Central etc.) e a comunidade em geral.

A organização interna do conselho pode ser livremente decidida por cada empresa.

Como garantir a transparência das informações


O Conselho tem por obrigação adotar as práticas de Governança Corporativa, para garantir que a empresa tenha transparência, equidade, prestação de contas e responsabilidade corporativa, tanto empresas tradicionais quanto novos negócios passam a desenvolver suas atividades de forma muito mais sustentável.
Aspectos como planejamento estratégico e tomadas de decisão tornam-se muito mais eficazes e seguros quando a organização adota políticas de análise e monitoramento de cada um dos indicadores da empresa.


PEQUENA E MÉDIA EMPRESA PODE TER CONSELHO ADMINISTRATIVO?


Empresas de qualquer porte ou natureza jurídica podem determinar a criação de um Conselho Administrativo. Isso quer dizer que até empresas de pequeno e médio portes também podem ter um Conselho e se beneficiar com as melhores práticas de gestão.
Indicado manter no mínimo 5 e no máximo 11 conselheiros, com participação de até 2 anos cada um. É sempre recomendado ter a participação de profissionais com experiências e qualificações diversificadas para que as discussões possam contar com um maior número de pontos de vista, tais como aspectos financeiros, jurídicos e de controle de risco, por exemplo.
Obviamente, para empresas de pequeno porte, o número de conselheiros deve ser menor, até por conta da complexidade da operação e adequação dos custos com esses profissionais.
Uma pequena empresa pode ter 1 conselheiro, que ajudará o empresário “solitário” na tomada de decisões estratégicas e uma empresa de médio porte pode contar com 3 ou 4 conselheiros, que já conseguirão ter um olhar bastante crítico e agregarão muito na gestão.
Importante que os conselheiros estejam alinhados aos princípios e valores da empresa, tenham capacidade de articulação e experiência de mercado.

Por que ter a Blue Numbers como Conselho Administrativo?


A Blue Numbers entende a cultura de seus clientes e leva as melhores práticas de mercado para transformar os clientes, redirecioná-los em busca de seus objetivos estratégicos, conseguindo alavancar os resultados.
Não é raro, já numa primeira reunião de trabalho, os consultores da Blue Numbers conseguirem trazer soluções que trarão um impacto bastante grande na geração de resultados. Isso porque nossos consultores são muito experientes, já tendo participado entre 50 e 250 projetos cada um. E esse é o nosso maior diferencial.
A equipe da Blue Numbers é altamente técnica e especializada em diferentes segmentos, como: Finanças, Comercial e Marketing, Recursos Humanos, Processos, Tributação, Valuation, Plano de Negócios e Planejamento Estratégico.



O que faz o CONSELHO ADMINISTRATIVO?


A função básica de um Conselho Administrativo é manter, na tomada de decisões, o direcionamento estratégico dos negócios, de acordo com os principais interesses da organização como um todo, protegendo seu patrimônio e maximizando o retorno sobre seus investimentos.
Cabe ao Conselho promover debates sobre os objetivos da empresa, para estimular a prática da tomada de decisões em grupo, descentralizando o controle. Além disso, o órgão deve estabelecer diretrizes para um planejamento estratégico e validá-lo junto aos diretores da empresa. Embora não deva interferir diretamente nos assuntos operacionais, o Conselho deve instituir sistemas de controle interno e um código de conduta para a organização.
No caso de pequenas e médias empresas, que não tenham processos e ou ferramentas já definidas, podemos atuar numa pré fase de Conselho, onde ajudaremos na definição e montagem dos relatórios e ferramentas, para que o Conselho possa ajudar de maneira mais eficiente.



Quanto custa ter um conselho ?


A remuneração dos conselheiros deve levar em conta suas exigências de comprometimento e presença, qualificação e valor agregado à empresa, sempre por meio de critérios claros e objetivos.
Até pelo princípio da transparência, adotado na Governança Corporativa, é muito importante que os conselheiros emitam relatórios anuais e prestem contas de todos os seus gastos, incluindo consultas externas a advogados ou auditores, despesas com treinamento e desenvolvimento e gastos com secretaria administrativa, por exemplo.
Os conselheiros podem ser avaliados para que se decida pela permanência ou não dos mesmos.



Quais as responsabilidades do Conselho Administrativo?


Deve ser elaborado um regimento interno para o Conselho Administrativo, no qual fiquem delimitadas suas responsabilidades, atribuições e limites de atuação. Para organizar melhor essas questões, um profissional que não faça parte do rol dos conselheiros deve ser nomeado para o cargo de secretário e ficar responsável por coordenar a agenda dos conselheiros e registrar as atas das reuniões.
No início de cada exercício, deve ser elaborado um calendário anual com a previsão de reuniões ordinárias do Conselho, cuja frequência pode variar de acordo com o porte e a complexidade de cada empresa. É fundamental que os conselheiros recebam antecipadamente documentos referentes ao tema que será tratado e que a pauta de cada reunião esteja disponível a todos os interessados, para que mais pessoas possam contribuir com informações importantes.



Que empresas devem implantar um conselho?


Embora somente empresas de capital aberto são obrigadas a ter um Conselho administrativo, as demais empresas também podem se beneficiar com a criação de um Conselho.
Empresas de pequeno e médio portes tendem a se beneficiar muito com o apoio de Conselheiros. Olhares diferentes, de profissionais experientes e que não vivem as angústias no dia a dia, trazem visões de fora, comparações com empresas do mesmo segmento. Com isso, ganha-se muita velocidade e segurança na tomada de decisões. Adotar práticas de Governança Corporativa é um passo importantíssimo na trajetória de toda empresa, independentemente do porte. Leva-se à uma diminuição das suas principais fragilidades e melhora no sistema de gestão da organização, como um todo, buscando sempre as melhores práticas do mercado.